ARTIGOS

Alckmin anuncia uso do volume morto do Alto Tietê e deixa moradores em alerta

Alckmin anuncia uso do volume morto do Alto Tietê e deixa moradores em alertaDesde o início do ano, nível dos reservatórios caiu pela metade. Moradores reaproveitam água das chuvas para uso em tarefas domésticas.

Desde o início do ano, o volume dos reservatórios de água do Sistema Alto Tietê caiu mais da metade: em 1º de janeiro, 46,3% das reservas estavam cheias, nesta segunda-feira (21), o número é de 22,4% de acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

O mês de julho soma apenas 16,6 mm de acumulados chuva, sendo que a média história do mês é de 49 mm. Embora a Sabesp não confirme a existência e nem a possibilidade de racionamento, moradores do Alto Tietê estão preocupados com o abastecimento de água, já que as paisagens da região mudaram drasticamente, nesta estiagem que já é considerada a maior da história.

A preocupação é tão grande que já tem gente estocando água. João Antônio da Silva, é morador da Vila Amorim em Suzano e há 15 anos armazena água da chuva em tambores. “Eu estou com três tambores de 200 litros cheios. Essa água eu uso para jogar no banheiro e lavar o quintal”, detalha o aposentado. Além de economia, João está preocupado com a estiagem. “Além da conta de água que diminuiu o valor, eu aproveito toda a água da chuva que cai pelas calhas para encher os tambores. Estou até pensando em conseguir mais tambores para poder guardar mais água quando chover”.

Outra pessoa que adaptou um sistema de captação de água em casa é Valter Villar. Na sua residência em Mogi das Cruzes, a água que sai da máquina de lavar roupas é depositada em um tambor de 180 litros para ser reaproveitada na hora de lavar o quintal. “O convencional é jogar essa água na rede de esgoto. Mas para economia da família, e pensando nesse problema da estiagem que temos agora, essa água pode ser armazenada e reaproveitada em outras tarefas”, acrescenta.

Além do tambor, a casa do aposentado possui canaletas e calhas para a água da chuva escorrer e ser despejada em um sumidouro, uma espécie de poço que permite que a água seja infiltrada nos lençóis freáticos. “Aqui não cai 1 milímetro de água da chuva na rede de esgoto”, ressalta.

Para a diretora do sistema de águas do Semae, autarquia municipal de Mogi das Cruzes responsável pelo abastecimento, não é preciso desesperar-se diante da situação. “A situação está complicada porque dependemos do tempo, mas com a contribuição da população, não temos problemas. Temos condições de abastecer sem racionamento”, afirma Milena Forte sem precisar até quando os reservatórios darão conta do abastecimento.

Economia

Através da Associação Mundial de Saúde, o Semae divulga que, em média, cada pessoa utiliza 50 litros de água por dia para sua higiene e bem-estar. Parece muito, mas se pensarmos que em um banho de oito minutos se vão 24 litros de água pelo ralo, a conta fica apertada, já que muita gente demora mais do isso no banho.

Uma descarga acionada três vezes ao dia gasta 18 litros. Tarefas como lavar as mãos, quatro vezes ao dia e, escovar os dentes por três vezes, gastam, em média, 5,6 litros de água. Sem contar a água potável que precisamos para beber.
Toda economia é bem vinda, por isso o Semae orienta os moradores a usar a máquina de lavar somente quando estiver com a sua capacidade total e ficar atento aos vazamentos.

Mesmo com as temperaturas amenas, o ideal é não demorar no banho. O chuveiro é considerado o vilão de desperdício de água e de consumo de eletricidade. Desligar o chuveiro enquanto ensaboa o corpo pode gerar uma economia de 80 litros de água. No mês, isso significa 2,4 mil litros a menos na conta.

O mesmo procedimento de fechar a torneira deve ser seguido na hora de lavar as louças. Uma torneira entreaberta pode desperdiçar 240 litros de água. O melhor é enxaguar os talheres e utensílios de cozinha de uma só vez.

O quintal e as calçadas podem ser limpos apenas com vassoura. Quando necessário, evite o uso de mangueiras, prefira os baldes, inclusive para lavar os carros.

Fonte: G1

Você também pode gostar...