ARTIGOS

Alencar Santana – Por uma Guarulhos sobre trilhos

Lançamos na Assembleia Legislativa uma Frente Parlamentar também com o tema Guarulhos quer metrô, visando aglutinar ainda mais força.

* Alencar Santana Braga

Quando tratamos de Guarulhos, estamos falando de uma das mais populosas cidades do país, com cerca de 1,3 milhão de habitantes, possuidora do mais importante aeroporto da América Latina e produtora do 8º PIB do Brasil, sendo o segundo maior do Estado de São Paulo.

Além disso, Guarulhos é a rota de chegada à cidade de São Paulo por três das principais rodovias brasileiras, a Dutra, a Ayton Senna e a Fernão Dias, e a cidade estabelece com a capital o maior fluxo diário do Brasil, com mais de 146 mil pessoas regularmente se deslocando entre os dois municípios, segundo dados do IBGE. E esse número pode ser, no entanto, ainda maior: segundo levantamentos da Prefeitura de Guarulhos, o número de pessoas se deslocando diariamente pode passar de 400 mil.

Isso mostra o quanto é necessária e urgente a concretização dos projetos de interligação por trilhos entre Guarulhos e São Paulo. Projetos estes que, há mais de vinte anos, são constantemente apresentados à população guarulhense, principalmente em períodos eleitorais, e em seguida esquecidos ou deixados de lado pelos sucessivos governos à frente do Estado de São Paulo.

Por essa razão, desde 2013, estivemos juntos ao movimento popular ocorrido na cidade, chamado “Guarulhos quer metrô”, que ganhou forte eco nas ruas – com atos públicos – e na imprensa da região metropolitana. O Guarulhos quer metrô, em pouco tempo, se tornou um dos mais eficazes pontos de pressão social na luta pela mobilidade, com resultados práticos reais como o anúncio, por parte do Governo Federal, de mais de R$ 4 bilhões para custear as extensões férreas até Guarulhos.

A extensão da Linha 2 – Verde do Metrô, saindo da Vila Prudente com direção a Guarulhos, com um total de 14.4 km, 13 novas estações e duas transposições (Linha 3 – Vermelha, na Penha e com a futura Linha 6- Laranja, no Jardim Anália Franco), mesmo com recursos federais garantidos, ainda não tem previsão de início efetivo das obras e sua data provável de entrega é constantemente adiada pelo Governo do Estado. Ainda, o projeto não resolve totalmente o problema, pois prevê a chegada dos trilhos somente até o Shopping Internacional, na Dutra, servindo apenas como transbordo para o restante da cidade e não dando a devida resposta às questões de mobilidade do município.

A nossa luta é garantir que o Metrô chegue, no mínimo, até a região central, desafogando o trânsito e dando mais qualidade de vida para quem depende do transporte metropolitano.

Outra questão em debate deve ser é a implantação da Linha 13-Jade da CPTM, ligando a estação Engenheiro Goulart, em São Paulo, ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, com uma estação também no Parque Cecap. Tal obra, conta também com a garantia de recursos federais, mas, apesar disso, anda a passos lentos. Segundo o projeto do Governo Alckmin, vai apenas atender aos usuários do Aeroporto, deixando a população de Guarulhos esquecida.

É preciso levar a linha mais para dentro dos bairros do entorno do Aeroporto, atendendo regiões como Taboão, São João, Presidente Dutra e Bonsucesso.

Também, é preciso se pensar em extensões de linhas da CPTM interligando a Zona Leste à região do Pimentas.

Dentro do mesmo tema, outro fator relevante na discussão sobre a mobilidade metropolitana é a previsão da chamada Linha 19 – Lilás, ligando o Campo Belo, na Zona Sul de São Paulo, passando pelo centro da capital e região da Vila Maria, e, em Guarulhos, atingindo Vila Augusta, centro até o Cecap. Apesar de sempre mencionada pelo Governo do Estado, não se vê nenhuma ação concreta no sentido de seu projeto e execução, estando atualmente, segundo o secretário de Transportes Metropolitanos, em fase de consulta para futura elaboração do projeto.

Se executadas, todas essas obras trariam um benefício imenso a nossa população e fariam justiça com a cidade de Guarulhos, tendo em vista sua importância no cenário econômico, político e social do país.

Trata-se de uma questão emergencial e estratégica e não podemos baixar a guarda em relação a isso. Devemos continuar fazendo a pressão necessária e a vigília permanente, através do acompanhamento da sociedade civil e do fortalecimento do Guarulhos quer metrô, lutando pelo cumprimento de prazo e pela escolha de traçados que beneficiem o maior número possível de pessoas.

Ações, vindas de todos os setores, podem ajudar nesse processo de pressão social.

No último dia 28, por exemplo, lançamos na Assembleia Legislativa uma Frente Parlamentar também com o tema Guarulhos quer metrô, visando aglutinar ainda mais força e ampliar os espaços debate.

Tal Frente Parlamentar, que conta com diversos deputados, de diferentes partidos, conscientes da necessidade da chegada efetiva dos trilhos a Guarulhos, vai acompanhar mais de perto e fiscalizar os projetos e as obras.

Garantir o direito ao transporte de qualidade é, também, garantir o direito à educação, saúde, cultura, lazer e trabalho: quanto menos tempo se gasta em deslocamentos, mais tempo sobra para viver, se capacitar, trabalhar e garantir o convívio familiar e social.

Guarulhos, há algumas décadas, já andou sobre trilhos. Adoniran Barbosa cantou a elegância do Trem das Onze, que ligava o Jaçanã, na Zona Norte da Capital, a Guarulhos, com várias estações na cidade, inclusive na região central e parada final na Base Aérea de Cumbica. Eternizado na canção do poeta, o trem foi desativado e a cidade ficou refém de outros meios de transporte, que ocasionaram transtornos e deixaram cada vez mais longe cidades tão próximas e tão importantes no contexto metropolitano, como São Paulo e Guarulhos.

Essa reparação é histórica e precisa ser feita.

* Alencar Santana Braga é Deputado Estadual (PT-SP), Coordenador da Frente Parlamentar “Guarulhos quer metrô” e Presidente da Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa de São Paulo.

Assessoria de Imprensa
Daniele Lopes
97159-0554

De: Macro PT ABC

Você também pode gostar...