GOVERNOS

Com #Dilma, as mulheres são muito mais valorizadas

Poderosa DilmaDurante o horário eleitoral desta segunda-feira (13/10), a presidenta e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) mostrou que não é apenas a primeira mulher a comandar o Brasil, como também uma defensora de políticas públicas voltadas para as mulheres.

A petista citou o programa Casa da Mulher Brasileira, que prestará serviços sociais a quem é vítima de violência doméstica.

As mulheres passaram a ser mais valorizadas nos governos do PT.

O primeiro passo foi dado em 2006, durante a gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com a criação da Lei Maria da Penha.

De acordo com dados da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres Presidência da República, a nova lei ajudou a encaminhar 100 mil mandados de prisão a agressores e salvou a vida de mais de 300 mil mulheres.

Com Dilma, as mulheres passaram a corresponder a 55% das matrículas das universidades, 59% das matrículas do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), 89% da titularidade do programa habitacional Minha Casa Minha Vida e 93% pelo Bolsa Família.

No mercado, as mulheres correspondem a 52% dos empreendedores simples e a 41,7% dos empregos com carteiras assinadas.

Dilma também conseguiu aprovar a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) das Domésticas, que assegura a 6 milhões de domésticas direitos iguais aos dos demais trabalhadores.

“Agora Dilma vai criar a Casa da Mulher Brasileira, que vai funcionar como Centro de Atenção Integral às mulheres vítimas de violência doméstica.

Uma ideia nova para quem precisa de apoio para reerguer sua vida”, disse um apresentador do programa da petista.

A Casa da Mulher Brasileira visa auxiliar mulheres em condição de vulnerabilidade prestando assistência jurídica, delegacias especializadas, auxílio de psicólogos, assistência social, educadores e apoio para busca de emprego.

Todas as capitais do Brasil terão Casa da Mulher Brasileira, sendo que três delas já estão sendo construídas em Campo Grande (MS), Vitória (ES) e Brasília (DF).

Neste ano, começam as obras em São Paulo (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Salvador (BA) e São Luiz (MA).

Quer saber mais? Então assista ao programa 5 de Dilma neste segundo turno e veja por que o Brasil não pode retroceder com o PSDB de Aécio e FHC:

https://www.youtube.com/watch?v=Pa3bQINEMG8

Você também pode gostar...