ARTIGOS

#Dilma fez passeata e reuniu militantes e apoiadores no Centro de Curitiba

Visita em CuritibaSegundo a campanha, 12 mil participaram da passeata na sexta (17).

Ao fim do trajeto, ela discursou e comparou governos do PT e do PSDB.

A candidata à Presidência da República Dilma Rousseff (PT) fez campanha em Curitiba na tarde de sexta-feira (17).

Concorrendo à reeleição, Dilma participou de passeata que teve concentração na Praça Santos Andrade, no Centro.

De lá, ela seguiu em cima de um carro até a Praça Generoso Marques, seguida de militantes e apoiadores.

De acordo com a campanha, 12 mil pessoas participaram do evento.

Esta foi a primeira vez que a Dilma foi ao Paraná durante a campanha eleitoral.

Ela esteve acompanhada do vice-presidente, Michel Temer (PMDB), do senador Roberto Requião (PMDB), do ex-senador

Osmar Dias (PDT), e de lideranças locais.

Ao final da passeata, a petista subiu em um carro de som para discursar.

Ela fez comparações entre os governos do PTe do PSDB, e disse que “o Brasil não pode dar um passo para trás”.

“Vamos mostrar que o Brasil não quer mais ficar de joelhos diante do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Eles quebraram esse país três vezes, eles criaram a maior onda de desemprego, reduziram os salários.

Agora vêm e falam – o salário mínimo está muito alto. Está muito alto para eles, que ganham milhões.

Não para o povo desse país”, disse a petista.

Sem mencionar pessoalmente o adversário, Aécio Neves (PSDB), Dilma fez críticas às gestões do PSDB na Presidência da

República (1995-2002).

“Eles quando puderam não fizeram e hoje com a cara mais limpa dizem – ‘eu vou fazer o Bolsa Família’. Não vão, não.

Porque nunca fizeram.

Quando puderam não criaram universidades, pelo contrário, sucatearam as universidades públicas, proibiram que se fizessem escolas técnicas federais”, criticou.

A petista ainda fez comparações entre as políticas industriais, e as relações com os bancos públicos.

Sobre o tom da campanha, com ataques entre os candidatos, Dilma disse que ela e seus aliados foram ‘desafiados’.

“Nós não somos da guerra, nós não somos da briga.

Mas quando nos desafiam, a gente encara uma boa briga”, afirmou a petista.

Fonte: g1.globo

Você também pode gostar...