GOVERNOS

Em Santo André CHM terá Hospital Dia para internação de, no máximo, 12 horas

Novo serviço de atendimento ao paciente ficará instalado no segundo andar, área que abrigou, até 2008, o centro obstétrico

Com previsão de entrega neste primeiro semestre, o CHM (Centro Hospitalar Municipal), ex-Santa Casa de Misericórdia de Santo André, abrigará uma unidade de HD (Hospital Dia). O novo serviço, aquele em que o paciente se interna pela manhã e recebe alta no fim do dia ou início da noite para realização de cirurgias de baixa complexidade, funcionará no segundo andar do complexo, área desativada em que funcionava o centro obstétrico.

O CHM será o primeiro equipamento público municipal a oferecer essa modalidade de atendimento ao usuário do SUS (Sistema Único de Saúde). Em Santo André, o Hospital Estadual Mário Covas e o AME (Ambulatório Médico de Especialidades), ambos do governo do Estado, possuem o serviço de cirurgias eletivas rápidas e de internação parcial. No Grande ABC, a mesma filosofia está empregada no Hospital de Ensino Anchieta (São Bernardo) e no Quarteirão da Saúde (Diadema).

No caso específico do CHM, o projeto arquitetônico para mudança estrutural do espaço físico, em fase final de execução, prevê duas salas cirúrgicas para realização dos procedimentos de baixa e média complexidade, como hérnias, varizes, hemorróidas e vasectomias. E também duas novas salas para realização dos exames de endoscopia, entre outros, com alta demanda entre os agendamentos.

O diretor do CHM, o médico José Antonio Souto Tiveron, acredita que o hospital dia contribuirá para melhorar o fluxo interno de atendimentos aos pacientes, inclusive desafogando a demanda no centro cirúrgico principal, composto por cinco salas para intervenções de maior complexidade.

Dias atrás, o secretário de Saúde de Santo André, o médico Homero Nepomuceno Duarte, junto ao diretor, realizou vistoria na área que sofrerá intervenções. “Trata-se de um espaço nobre dentro do hospital e que vamos abrigar o novo serviço”, reforçou o gestor. O centro obstétrico foi transferido para o Hospital da Mulher em 2008, quando de sua inauguração.

PERFIL – O CHM, fundado em 1912 e que hoje funciona como hospital-escola, possui média mensal de 12 mil atendimentos, entre o PS (Pronto-Socorro) e a parte ambulatorial (clínica médica/internação). Na cidade, o equipamento é porta de entrada dos casos de urgência e emergência, principalmente das vítimas de acidentes de trânsito. Referência regional nos atendimentos de ortopedia, cirurgia geral e bucomaxilofacial, a unidade pública oferece ainda outras especialidades, como neurocirurgia, oftalmologia, odontologia e psiquiatria.

Por www.santoandre.sp.gov.br

Você também pode gostar...