GOVERNO GRANA

Em Santo André; Curso de Auxiliar Administrativo é opção para quem quer concluir o fundamental

*** Lançado este ano, curso tem como objetivo oferecer formação profissional nas escolas municipais para quem voltou a estudar ***

Aos 32 anos, Rozineide Leandro da Silva decidiu voltar a estudar para conseguir uma vida melhor para ela e para as filhas. Ela abandonou os estudos muito nova, aos 16 anos, quando ainda estava na 6ª série do fundamental, pois estava grávida. Hoje Rozineide está matriculada na primeira turma de Auxiliar Administrativo da EJA-FIC (Educação de Jovens e Adultos com Formação Inicial e Continuada) na Emeief Cora Coralina, no Jardim Santo André. Além desta unidade, o curso está sendo realizado em outras duas Escolas Municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental (EMEIEF), localizadas no Jardim Guarará e em Utinga. (Lista está abaixo)

“Eu tinha muitos sonhos, mas acabei tendo que parar para cuidar das minhas filhas. Mas agora elas estão grandes, com 12 e 15 anos, e posso voltar para terminar os estudos. Mas não quero só isso, quero conseguir um emprego melhor. Trabalho como ajudante geral, mas quero muito trabalhar na área administrativa. Gosto muito das tarefas desta área e pretendo cursar uma faculdade de administração quando acabar o ensino médio”, disse.

Rozineide tem as aulas da área profissionalizante às quintas feiras e nos outros dias as aulas são do currículo básico do ensino fundamental. Quinta é seu dia da semana preferido. Nestas noites, a turma tem três aulas de formação profissional, onde aprende as técnicas básicas do trabalho de auxiliar, por exemplo, rotinas de arquivo, atendimento telefônico, noções de informática, bem como habilidades de comunicação e relacionamento interpessoal. As aulas de auxiliar administrativo, explica a professora Sônia Camila Dontal, normalmente são trabalhadas de forma integrada com as outras disciplinas , como por exemplo, a aula sobre como escrever um recado ou bilhete está relacionada com as aulas de português.

Ainda na quinta-feira os alunos têm duas aulas de FTG – Formação Técnica Geral, é busca uma reflexão a cerca do mundo do trabalho e tem como objetivo trabalhar o conhecimento das técnicas e tecnologias, a partir do conhecimento que os alunos já trazem, e além disso aborda temas como Autonomia e Solidariedade e Estratégias de Inserção ou Reinserção para o Mundo do Trabalho. O curso pretende, ainda, proporcionar a formação integral do ser, com a valorização do saber que cada um adquiriu em experiências anteriores, ajudando-o a reconhecer sua identidade de trabalho e a usar estas informações em favor próprio. As aulas têm como objetivo, também, estimulá-los a continuar os estudos e a crescer profissionalmente”, explicou a Assistente Pedagógica, Daiane Alves Gomes coordenadora frisou.

Para proporcionar esta oportunidade de crescimento profissional dos estudantes, a secretaria de Educação desenvolveu os cursos da EJA-FIC de forma a permitir o avanço da formação na área escolhida. São cinco áreas disponíveis, chamadas arcos ocupacionais: beleza, construção civil, marcenaria, informática e administração. Auxiliar Administrativo é a formação que o estudante encontra no primeiro módulo da EJA-FIC no arco ocupacional Administração. Como a EJA II (que corresponde ao período entre o 6º o 9º ano do fundamental) é composto por quatro termos que duram, em média 6 meses, quem passar para o próximo módulo irá cursar Assistente Administrativo.

As inscrições para o curso de Auxiliar Administrativo estão encerradas, mas os interessados devem procurar a secretaria da unidade mais próxima para que sejam contatados assim que se iniciem as matrículas para as próximas turmas (Veja os endereços abaixo). Apenas o EJA-FIC de Auxiliar Administrativo, lançado este ano, acontece nas Escolas Municipais de Educação Infantil de Ensino Fundamental. As outras opções de formação acontecem nos Centros Públicos de Formação Profissional (CPFP).

Emerson Francino da Silva pretende terminar o ensino fundamental na área da administração para um dia montar sua empresa. Ele parou de trabalhar aos 12 anos, mas não esperou tanto para voltar. Aos 16 anos está outra vez nas salas de aula, para continuar a busca de seu sonho, que é ter uma mecânica e principalmente de ser engenheiro mecânico. Ele não tem preguiça de começar do zero, quer dizer, conhecimento sobre mecânica ele tem, aprendeu com um cunhado. Mas tem também a consciência de que para ter alguma empresa tem de saber administrar. “Hoje sei que para crescer é preciso ter conhecimento, estudo”, acrescenta.

Endereços:

Emeief Cândido Portinari (Rua dos Cocais, 1861 – Jd. Guarará);
Emeief Cora Coralina (Rua dos Dominicanos, 1250 – Jd. Stº André)
Emeief João de Barros (Rua Londres, 444 – Jd. Utinga)

Fonte:

Prefeitura de Santo André

 

Você também pode gostar...