GOVERNO FEDERAL

Governo está confiante na aprovação da MP do ajuste, diz Edinho Silva

Segundo o ministro, a presidenta Dilma Rousseff comemorou o resultado da votação e agradeceu aos parlamentares pela forma como a votação na Câmara foi conduzida

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, disse que o governo avaliou de maneira “positiva” aprovação da Câmara pela Medida Provisória 665, que altera o acesso ao seguro-desemprego e ao abono salarial, e está confiante na aprovação do texto pelo Senado.

“Foi extremamente positivo a Câmara dos Deputados ter tido o entendimento sobre a importância do ajuste, para que o Brasil, no curto espaço de tempo, possa retomar o crescimento econômico e a gente possa superar a crise, para que o Brasil cresça com sustentabilidade”, declarou à imprensa, após reunião com a coordenação política do governo, nesta segunda-feira (11).

Segundo Edinho Silva, a presidenta agradeceu o resultado da votação. “O balanço foi positivo e a presidenta ficou muito agradecida aos parlamentares, ao presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pela forma como a votação na Câmara foi conduzida”, afirmou.

O ministro disse ainda que o governo confia “no bom senso do Senado” para que o nome de Luiz Edson Fachin seja aprovado para assumir do ex-ministro Joaquim Barbosa  no Supremo Tribunal Federal (STF). A Comissão de Constituição e Juistiça (CCJ) do Senado Federal, deve sabatinar o jurista nesta terça-feira (12).

“Estamos falando de um jurista respeitado e reconhecido. O governo tem confiança no Senado e no bom senso do Senado e tem confiança no currículo de um jurista que, como eu já disse, certamente é um dos maiores juristas do nosso país”, afirmou.

MP 664 – A medida que altera o acesso à pensão por morte e ao auxílio doença ainda está em discussão no Congresso Nacional. A Câmara deve votá-la na próxima quarta-feira (13). Um dos pontos polêmicos é a questão da flexibilização do fator previdenciário, que ainda não há consenso entre os parlamentares. De acordo com Edinho Silva, o governo aguarda as discussões no Legislativo.

“O governo respeita o Congresso Nacional, respeita as opiniões e o governo não vai discutir nada em tese. Quando alguma medida for aprovada e remetida ao Executivo, aí, sim, o governo construirá sua avaliação”, pontuou.

Por Michelle Chiappa, da Agência PT de Notícias

Você também pode gostar...