GOVERNO GRANA

Governo Grana amplia entrega de medicamentos para população em mais de 200%

Saúde de Santo André distribuiu 125 milhões de unidades no ano passado, número é 247% maior em relação a 2012, quando foram dispensados 35,9 milhões de itens na rede; nestes quatro primeiros meses já são 38,9 milhões

Santo André, 14 de maio de 2015 – A Secretaria de Saúde de Santo André distribuiu 125 milhões de unidades de medicamentos à população assistida na rede municipal no ano passado. O número representa crescimento de 247% em relação a 2012, quando foram entregues 35,9 milhões de itens. Somente neste ano, de janeiro a abril, já foram distribuídos 38,9 milhões de unidades nos equipamentos e serviços da atenção básica e especializada, além da urgência e emergência e rede hospitalar – CHM (Centro Hospitalar Municipal). Os remédios, entre analgésicos, antibióticos e antitérmicos, cobrem as doenças com maior incidência.

Do Grande ABC, Santo André é uma das cidades que possui o maior número de itens na Remume (Relação Municipal de Medicamentos): 483, destinados para algumas patologias crônicas, como hipertensão e diabetes, além de problemas gástricos e doenças, como osteoporose e depressão, entre outras. Além de extensa, a lista é diferenciada. Existem remédios, inclusive, que somente o município fornece em toda região. Por exemplo, o Metropolol 25 mg, comprimido indicado para o coração.

Do total de itens da Remume, 207 pertencem à rede de atenção básica, porta de entrada do SUS (Sistema Único de Saúde) e 203 à especializada – 37 destinados à Saúde Mental. A rede de urgência e emergência, que compreende os quatro PAs (Prontos Atendimentos) – o Central está fechado para reforma e ampliação – e três UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) 24 horas, possui 283, dos quais, 76 dispensados nas farmácias 24 horas. O CHM (Centro Hospitalar Municipal), ex-Santa Casa de Misericórdia, dispõe de 412 tipos de medicamentos. Vale ressaltar que alguns remédios são comuns em todos os pontos de atenção da rede municipal de saúde, ou seja, se repetem nas unidades básicas, nos centros de especialidades e nos hospitais.Centro EspecialidadeIII 3

A gerente da Assistência Farmacêutica de Santo André, Karina Santos Rocha, explica que os medicamentos distribuídos nas 33 unidades básicas de saúde são para tratamentos de doenças que acometem grande parte da população, como, hipertensão e diabetes. A lista inclui ainda itens para casos de problemas sintomáticos e que precisam de imediata intervenção do remédio, por exemplo, febre, infecção e inflamação.

Já nos três Centros de Especialidades – Centro, Parque das Nações e Vila Vitória – são dispensados medicamentos de uso controlado, inclusive na entrega, uma vez que alguns itens podem causar dependência. Na rede de urgência e emergência, existem ainda as farmácias 24 horas que fornecem medicamentos para infecção, febre, alergia e dor, entre outros.

Para que a dispensação gratuita seja efetuada no município, o paciente deve apresentar receita médica atualizada, cartão do SUS (Sistema único de Saúde), RG e comprovante de residência. Em 2014, foram destinados R$ 16,5 milhões na compra de medicamentos.

Reinauguração USF Santo Alberto 27Apesar da vasta oferta, existem problemas pontuais na dispensação dos medicamentos ao usuário na rede, que vão desde os processos de licitação até as questões decorrentes do mercado de comercialização dos insumos, inclusive com a variação do dólar, segundo o secretário de Saúde de Santo André, Homero Nepomuceno Duarte.

DOMICILIAR – Outro benefício ao morador de Santo André é o Remédio em Casa, serviço inédito gratuito oferecido para 360 pacientes inscritos no antigo PID (Programa de Internação Domiciliar) e instituído em abril do ano passado pela Secretaria de Saúde. Entre maio e dezembro, foram realizadas três mil entregas entre medicamentos, materiais de enfermagem e dietas para alimentação por sonda, de maio a dezembro. No total, a lista contém 281 itens padronizados para distribuição.

O serviço de entrega em domicílio faz parte do Melhor em Casa, ex-PID do Ministério da Saúde. Antes, os medicamentos prescritos pelos profissionais da área tinham de ser retirados pelos familiares na sede do programa de atenção domiciliar ou em uma das unidades básicas.

Sobre a Secretaria de Saúde

Com orçamento previsto de R$ 566.994 milhões para 2015, a Secretaria de Saúde tem destinado o maior valor da peça orçamentária da Prefeitura de Santo André. O governo tem na Pasta uma de suas prioridades, inclusive com a construção de novos equipamentos públicos aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde).

A rede de saúde municipal é composta por 33 USs (Unidades de Saúde); dois hospitais (Centro Hospitalar Municipal e Hospital da Mulher); três UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) 24 horas; quatro PAs (Prontos Atendimentos) 24 horas; três Centros de Especialidades Médicas; um Centro de Reabilitação Municipal; dois Centros de Especialidades Odontológicas; um Ambulatório de Moléstias Infecciosas; um Centro de Referência de Saúde do Trabalhador, um Centro de Terapia Comunitária e um laboratório de análises clínicas, além do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Na área de Saúde Mental, são quatro Naps (Núcleos de Atenção Psicossocial), um Caps (Centros de Atenção Psicossocial), quatro residências terapêuticas, duas repúblicas terapêuticas, um consultório na rua (veículo), um Centro de Atenção à Saúde Mental e um Núcleo de Projetos Especiais. Na diretoria de Vigilância à Saúde, o município dispõe de divisões de Vigilância Sanitária; Epidemiológica; Saúde do Trabalhador e Controle de Zoonoses e Ambiental.

A Secretaria de Saúde trabalha em parceria com a Faculdade de Medicina da Fundação do ABC, que oferece vários serviços e atendimentos à população. A Pasta também oferece apoio diagnóstico e terapêutico, desde municipal até terceirizado, por meio de contratos e convênios.

A respeito de Santo André

A Vila de Santo André da Borda do Campo foi fundada em 8 de abril de 1553 e extinta em 1560. A localidade passou a ser parte do município de São Paulo e apenas em 1889 é que a região passou a ter um município com nome de São Bernardo. Este abrigava todo o ABC, e com a transferência de sede em 1939 passou a ser denominado Santo André. Este nome permaneceu, e após diversas emancipações de distritos, em 1953, o município de Santo André passou a ter a área atual de 174,38 km².

Localiza-se no ABC paulista (Região Metropolitana de São Paulo), distante 18 km da Capital. A cidade é estratégica para o setor logístico, pois está inserida no principal polo econômico brasileiro, próxima a algumas das principais rodovias estaduais e federais, as quais dão acesso ao Porto de Santos e aos aeroportos de Cumbica e de Congonhas.

Conforme último Censo, divulgado em 2010, com estimativa para 2014, Santo André possui 707.613 habitantes. No ano de 2012, o PIB (Produto Interno Bruto) foi de R$ 18,085 bilhões, sendo o 32º maior do País e o 12º maior entre as cidades do Estado de São Paulo.

Links:
Visite o site: www.santoandre.sp.gov.br
Facebook: https://www.facebook.com/PrefeituradeSantoAndre
Twitter: https://twitter.com/StoAndre

Mais informações para a imprensa
Elaine Granconato – esgranconato@santoandre.sp.gov.br

Você também pode gostar...