ARTIGOS

O PSDB insiste em deseducar

A postura de Alckmin, assim como o do governador do Paraná, Beto Richa, reflete à ideologia de um partido que busca resolver os problemas da administração colocando a tropa de choque na rua

A gravidade do que ocorreu no estado do Paraná nesta semana, com a ação truculenta da Polícia Militar contra professores da rede estadual de ensino, só confirma o descaso do PSDB com a nossa Educação.

No estado de São Paulo não tem sido diferente. Também em greve por melhores condições de trabalhos, os professores, prejudicados com o sucateamento da pasta, ainda não sofreram golpes fisicamente, mas estão cada vez mais abalados emocionalmente pela falta de compromisso e respeito do governador Geraldo Alckmin, que tem virado as costas para os problemas da educação no Estado.

A postura de Alckmin, assim como o do governador do Paraná, Beto Richa, reflete à ideologia de um partido que está à frente do governo de São Paulo há 20 anos – o PSDB – e que busca resolver os problemas da administração colocando a tropa de choque na rua para inibir e repreender a população, ignorando direitos civis e humanos.

Em 2010, o até então governador de São Paulo, José Serra, tomou a mesma medida contra uma manifestação também de professores. O governo de Serra foi marcado por outras ações como esta. Em 2008, por exemplo, durante greve de policiais civis. Os policiais militares foram ordenados a reprimir o protesto com bombas de efeito moral e balas de borracha.

Essa forma desastrosa de encarar a luta por melhores condições de trabalho não surpreende, afinal, um governo que não valoriza a Educação do seu Estado, ignorando o fato de a mesma ser o caminho de tantas melhorias para o nosso povo, só pode agir com a total falta de educação.

Neste cenário, fica cada vez mais difícil lidar com outro problema que cresce cada vez mais no estado de São Paulo, um dos maiores índices de violência do Brasil. Como combater a violência, resgatar milhares de jovens que cooptam pela criminalidade, sem ter a Educação como uma das prioridades de governo.
Entende-se então a defesa de Geraldo Alckmin pela redução da maioridade penal, ação que não mede esforços para discutir e investir em políticas públicas que eduquem os nossos jovens, sendo muito mais fácil encurralá-los em unidades da Fundação Casa ou presídios, ambientes que requer pouco investimento, excluindo-o da vida social.

*Luiz Fernando Teixeira é deputado estadual do PT-SP

Por: http://www.cnbsp.com.br

Você também pode gostar...