Paulo Frateschi e Selma Rocha reforçam luta democrática e mobilização permanente contra o Golpe

PT Santo André
Por PT Santo André março 17, 2016 19:36

Paulo Frateschi e Selma Rocha reforçam luta democrática e mobilização permanente contra o Golpe

Durante 21ª edição do Fórum de Conjuntura do PT Paulista, lideranças enfatizaram a necessidade do partido estar ao lado do povo, nesta sexta (18), na Avenida Paulista, na resistência ao atentado contra a democracia por parte de setores da mídia e da oposição 

Fábio Sales/ PT-SP

A importância do legado petista na sociedade, a defesa das conquistas sociais e da luta permanente contra o golpe nortearam o debate com lideranças históricas do PT na 21ª edição do Fórum de Conjuntura Eleitoral do Diretório Estadual do PT-SP, realizada na noite de terça-feira (15/3), na sede do partido, no centro da capital paulista.

Na presença de um bom público (70 pessoas compareceram ao evento), o ex-presidente estadual do PT-SP, Paulo Frateschi, e a diretora da Escola Nacional de Formação do PT, Selma Rocha, analisaram a atual conjuntura, sem deixar de lado a importância do engajamento da militância e movimentos organizados da sociedade na atividade em Defesa da Democracia, dos Direitos Sociais, do ex-presidente Lula e Contra o Golpe, que acontece nesta sexta-feira (18), a partir das 16h, no Vão Livre do Masp, na Avenida Paulista.

“O centro da nossa tática é uma luta contra o golpe, mas uma luta essencialmente pela democracia. Uma luta democrática para conter esse avanço conservador, que ameaça as conquistas sociais e retroceder aos níveis de desigualdade de décadas atrás ”, frisa Frateschi.

Por outro lado, Selma frisou que a mobilização não deve atender a interesses individuais, mas construir capacidade argumentativa e ações coletivas que possam dialogar com a população.

“O que está sendo feito e a manifestação de domingo mostrou isso com clareza é a desmoralização da política como instrumento de transformação social. Lula reiteradamente tem dito sobre isso. O Lula sempre fala isso para os jovens. Façam o que quiserem, mas voltem sua atitude para a ação política. Sem ação política não há mudança”, explica.

Reprise

Para quem não pôde comparecer ao Fórum, a Rádio Linha Direta reprisa o debate, na íntegra, no próximo domingo (20/3), às 20h. Para ouvir, basta acessar http://www.radiolinhadireta.org.br/

 

Além do portal do PT Paulista (http://www.linhadireta.org.br/), a Rádio LD também pode ser ouvida pelos sites do PT Nacional (http://www.pt.org.br/) e da Fundação Perseu Abramo (http://novo.fpabramo.org.br/).

Confira alguns momentos do debate:

Luta de classes

“Estamos vivendo aquilo que se chama conflito de classes. Precisa ter luta. E para ter luta precisa ter construção da consciência. Há um espaço, quando se coloca a questão dos interesses materiais de explorar os trabalhadores, sobre o que vai acontecer com o salário mínimo, o direito à moradia, a qualidade do transporte e as condições de infraestrutura, as pessoas balançam, pois muitos têm a memória da época do FHC e não querem retroceder”, Selma Rocha

Objetivos da direita

“O objetivo deles (oposição e grande parte da mídia) é interditar o PT, aniquilar o Lula e ‘impichar’ a Dilma. Taticamente, claro que a visão mais estratégica deles é um Brasil menos democrático, aonde eles possam consolidar o projeto de elite. Economicamente, é sim o neoliberalismo, com um estado mais enfraquecido e uma economia, onde eles podem realizar o lucro sem a participação social e inclusão”,Paulo Frateschi

Partido de Massas X Burguesia

“Nós somos um partido de massas que somos disputados pela burguesia, por dentro, que tem como tradição o domínio e o mando, visto uma sociedade que viveu anos de escravidão. A classe dominante não tem o treino da negociação dos direitos. Diante disso, os direitos civis, sociais e políticos foram construídos com muita luta. O problema é que nosso país demorou muito a adquirir essas conquistas, por causa da escravidão. Por isso que esse ódio ao pobre, por parte da direita, se manifesta em vários lugares. É o sentimento da Casa Grande, mesmo. Isso tem uma tradição histórica”, Selma Rocha

Resistência ao conservadorismo

“Temos que brecar esse avanço conservador. A luta democrática é fundamental contra o golpe, mas também temos que fazer o enfrentamento e sair da defensiva para defender a luta contra a homofobia, a luta contra a redução da idade penal, para dizer não à violência contra às mulheres”, Paulo Frateschi

Interesses na Petrobras

“As petrolíferas do mundo estão atrás da Petrobras. Só que a Dilma fez uma coisa inteligente, ao comprometer os recursos do pré-sal com a Saúde e a Educação. Ao fazer isso ela criou um problema para o estado e para a quebra do regime de partilha”, Selma Rocha

“Desconfio não é à toa que o personagem central desta questão se chama [senador] José Serra. Está desaparecido das manifestações, da mídia, mas está bem aparecido junto às petrolíferas e aos setores que têm interesse material e político em quebrar o desenho do controle dos fundos públicos”, Selma Rocha

Relação com 64

“Embora em décadas diferentes, o clima de golpe é o mesmo de 64. O fascismo que passa pelas ruas, a tentativa de aniquilar os movimentos populares é o mesmo… O que está diferente é que os movimentos demoraram para reagir na década de 60 e, hoje, estamos reagindo mais imediatamente”, Paulo Frateschi

Lula no Governo

“Lula tem que ir para o governo. Dilma teve uma atitude grande ao convidá-lo. Sabe da sua capacidade. O pedido de prisão do Lula é arbitrário. Não podemos nos calar”, Selma Rocha

Soluções para Economia

“Precisamos dizer que estamos com a presidenta Dilma e lutar por um programa de economia que privilegie a redução de juros, a produção por consumo de massa para ter inclusão e um sistema tributário progressivo: quem tem paga mais, quem tem menos paga menos”, Paulo Frateschi

Citação sobre Gushiken

“Não podemos deixar que as novas gerações achem que nossa fase heróica não existiu. As pessoas têm um valor extraordinário para a história do Brasil, não apenas pelos estudos, mas pela experiência coletiva e convívio social. Essa contribuição do nosso partido é imensurável”, Selma Rocha

Representatividade

Estiveram presentes lideranças como o coordenador estadual do GTE PT-SP, Rodrigo Funchal; a secretária estadual de Mulheres do PT-SP, Martinha; o secretário estadual de Formação Política do PT-SP, Maxwell Chagas; o secretário de Combate ao Racismo do PT-SP, Paulo Ramos; o coordenador da Macro Campinas, Angelo Barreto e o vereador de São Vicente, Alfredo Martins.

Também compareceram representantes das cidades de Barueri, Santo André, Rio Grande da Serra, São Caetano, Rio Claro, Itaquaquecetuba, Campinas, Osasco, Campo Limpo Paulista, Jundiaí, Araçatuba, Birigui, Mairiporã e Bauru, dos diretórios zonais da Penha, Lapa, Pinheiros, Centro, Vila Matilde, Perdizes, Vila Prudente e Santo Amaro, do SindiPetro (Sindicato dos Petroleiros), da Rede Cidadã, bem como militantes e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores.

Jornada Regional do Fórum

Vale lembrar a proposta para a realização de Jornadas Regionais do Fórum no estado de São Paulo, que serão promovidas nos primeiros finais de semana de cada mês. Previsto para iniciar em março, os encontros foram adiados para o início de abril. Os coordenadores e coordenadoras das 20 Macrorregiões poderão solicitar as agendas, por meio do e-mail gteptsp@gmail.com ou pelo telefone: (11) 2103-1311.

PT Santo André
Por PT Santo André março 17, 2016 19:36

PALAVRA DO DIRETÓRIO MUNICIPAL

FACEBOOK