PT vai investigar se governo Alckmin desviou recursos públicos para financiar blogueiro

PT Santo André
Por PT Santo André abril 27, 2015 09:00

PT vai investigar se governo Alckmin desviou recursos públicos para financiar blogueiro

Parlamentares petistas pedem ao Ministério Público a quebra dos sigilos fiscal e bancário da Appendix e de seus sócios nos últimos cinco anos, verificando se suas evoluções patrimoniais foram compatíveis com seus rendimentos e se a movimentação financeira da empresa é compatível com sua atuação no mercado no período

Os deputados estaduais João Paulo Rillo e Geraldo Cruz, ambos do PT, protocolaram junto ao Ministério Público nesta quinta-feira (23) uma representação que pede abertura de inquérito civil e criminal contra o governo do estado de São Paulo diante de indícios de desvios de recursos públicos para financiar blogueiro antipetista.

A representação usou como base uma matéria do jornal Folha de S. Paulo do último sábado e matérias de blogues independentes que apontam que a Appendix Consultoria, empresa responsável por sites que disseminam material anti-PT, recebeu R$70 mil mensais entre outubro do ano passado e março deste ano como subcontratada da Propeg,  agência de publicidade que presta serviços ao governo de São Paulo. De acordo com a Folha de S.Paulo, pelo menos uma das ordens de serviço que liberou os recursos à Appendix foi assinada por Juliano Nóbrega, o número dois da Subsecretaria de Comunicação do Palácio dos Bandeirantes. Nóbrega é, inclusive, marido de Cristina Ikonomidis, que recentemente se tornou sócia na Appendix – a empresa do blogueiro.

Diante disso, os deputados petistas pedem ao Ministério Público a quebra dos sigilos fiscal e bancário da Appendix e de seus sócios nos últimos cinco anos, verificando se suas evoluções patrimoniais foram compatíveis com seus rendimentos e se a movimentação financeira da empresa é compatível com sua atuação no mercado no período. Além disso, os parlamentares pretendem abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as supostas irregularidades nos contratos.

“Os fatos envolvendo a subcontratação e o desrespeito ao objetivo do contrato original apontam indícios de desvios de recursos públicos, que podem tipificar prática de crime contra a administração pública e ato de improbidade administrativa. Fernando Gouveia, dono da Appendix Consultoria, subcontratada pela Propeg, teria recebido, de outubro de 2014 a março de 2015, R$ 70 mil mensais”, afirmou em nota a assessoria do deputado João Paulo Rillo.

Foto: Bruno Santos/ A2 FOTOGRAFIA

De SpressoSP

PT Santo André
Por PT Santo André abril 27, 2015 09:00

PALAVRA DO DIRETÓRIO MUNICIPAL

FACEBOOK