GOVERNOS

“Só quem pode decidir com força é o povo”, diz Dilma

dilmaPresidenta da república recebeu na segunda-feira (14) documento sobre plebiscito, em que maioria (97,05%) dos votos se manifestou favorável à reforma

 

Diversas entidades da sociedade civil, movimentos sociais, militantes e cidadãos comuns foram às urnas no início de setembro, a fim de participar do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político.

O resultado foi entregue a presidenta Dilma, nesta segunda (13), em que 7,7 milhões de pessoas participaram do processo e, ao final da apuração, 97,05% dos votos optaram pelo sim da reforma política.

 

“Tenho a convicção de que o Brasil precisa da Reforma Política.

É uma das pautas mais importantes, que é a mãe de todas as reformas.

O Brasil precisa, tanto para poder avançar institucionalmente, quanto para combater a corrupção”, disse Dilma.

 

Ao contrário do adversário Aécio Neves, a presidenta valoriza as vozes da população e intensinficará ainda mais o diálogo com o povo em seu segundo mandato.

 

“Estou dizendo que é muito difícil [a proposta ser apresentada pelo Congresso Nacional], porque essa é uma questão que divide: tem posições contrarias e favoráveis.

Só quem pode decidir com força é o povo. Sem participação popular, não acredito que de maneira alguma cheguemos a uma Reforma Política”, emenda.

 

*Entenda o que o plebiscito defendeu na aprovação da Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político:

 

VÍCIOS DO NOSSO SISTEMA POLÍTICO

 

Mais de 70% do Congresso Nacional é composto por empresários, fazendeiros e seus representantes; menos de 30% representam os trabalhadores e trabalhadoras.

 

E, em 2010, 91% do financiamento das campanhas eleitorais foi de origem privada. Resultado: muitos dos eleitos ficam com o “rabo preso” aos seus financiadores (grandes empresas, bancos, etc.).

De um Congresso desse jeito, como esperar reformas como as agrária, urbana e tributária?

 

Como esperar medidas para que tenhamos educação, saúde, transporte e segurança pública de qualidade?

 

COMO MUDAR ESSA SITUAÇÃO?

 

É preciso uma REFORMA POLÍTICA no país, que livre nossa democracia do peso do poder do dinheiro, que é quem alimenta a corrupção e distancia o povo das decisões políticas.

Uma Reforma que acabe com o financiamento privado das campanhas eleitorais, estabeleça o financiamento público, e amplie a participação direta da população.

 

Desde o final de 2013, centenas de movimentos sociais, sindicais, organizações políticas e entidades da sociedade civil decidiram organizar um PLEBISCITO POPULAR que mostre a vontade do povo na convocação de uma CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA para fazer a Reforma Política.

 

Com o resultado do Plebiscito, o Congresso será pressionado a convocar a Constituinte.

 

O QUE É UMA CONSTITUINTE EXCLUSIVA DO SISTEMA POLÍTICO?

Nesta Constituinte, representantes eleitos pelo povo terão como tarefa elaborar e aprovar as modificações na Constituição referentes ao sistema político.

É EXCLUSIVA porque, acabado o trabalho, esses representantes não terão mais mandato, e portanto não terão como legislar em causa própria.

 

Você também pode gostar...